Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

domingo, 20 de novembro de 2011

Alberto Calçada 20/11/11

 Alberto Calçada

Alberto de Souza Calçada nasceu na Paulicéia Desvairada no dia 06/08/1929 e faleceu também na Capital Paulista no dia 29/07/1983.

Além de Acordeonista e Tecladista, o excelente Músico foi também Compositor e Produtor de Discos, tendo sido também o fundador da inesquecível Gravadora Chantecher. 
Alberto começou a tocar o Acordeom com apenas 11 anos de idade.

Com 12 anos formou o grupo "Irmãos Calçada" ao lado de suas duas irmãs que também eram cantoras.

O conjunto passou a se apresentar nos programas "Clube Papai Noel" e "Festa Na Roça", na Rádio Difusora, e no programa "Escola Risonha e Franca", na Rádio Record de São Paulo-SP. 
Em 1946, Alberto Calçada mudou-se com a família para Araguari-MG e, nessa cidade, no ano seguinte, ele formou o trio "Sabiá-Canarinho - Albertinho" junto com Sebastião Alves da Cunha (o Sabiá (Biá)) e seu irmão Elias Alves da Cunha (o Canarinho). 


Em 1948, Alberto formou um grupo de Seresta, que interpretava Valsas e Canções Dolentes. 
Em 1950, retornou a São Paulo-SP para poder cumprir o Serviço Militar.

E, na Paulicéia Desvairada, Alberto Calçada se integrou à empresa de shows pertencente ao Celso Rodrigues, conhecido carinhosamente como Sertãozinho.

Com essa empresa, Alberto acompanhou por todo o Brasil diversos Artistas, tais como Zé Fidelis, e as Duplas Tonico e Tinoco e Zé Carreiro e Carreirinho. 

Em 1953, Palmeira e Biá formaram a inesquecível Dupla, a qual era acompanhada no Acordeom pelo Alberto Calçada.

Nessa época, Palmeira, Biá e Alberto Calçada foram contratados pela Rádio Piratininga, para um programa semanal que ia ao ar toda Terça-Feira às 21h00min. 
Em 1955, Alberto Calçada gravou na RCA-Victor o seu primeiro Disco 78 RPM como Solista (Nº 80.1435), tendo no Lado A a Polca "Aí Que Tá" (Alberto Calçada - Vicente Lia) por ele interpretada e, no Lado B, a "Valsa Do Pescador" (José Fortuna) interpretada pela Dupla "Palmeira e Biá". 
No mesmo ano, Alberto gravou também na RCA-Victor o seu segundo 78 RPM (Nº 80.1491), dessa vez como Solista em ambos os lados do Disco, tendo no Lado A o Xote "Pica-Pau" (Alberto Calçada - Diogo Mulero "Palmeira") e, no Lado B, o Corridinho "Caldo Verde" (Alberto Calçada). 
Em 1956, Alberto Calçada gravou seu terceiro Disco 78 RPM, também na RCA-Victor (Nº 80.1581), tendo no Lado A, a Polca "Sarapico" (Diogo Mulero "Palmeira") e, no Lado B, o "Baião Número Cinco" (Diogo Mulero "Palmeira" - Teddy Vieira). 
Ao que consta, Alberto Calçada gravou como Solista um total de 21 "bolachões" 78 RPM, além de um Compacto Duplo e 20 LPs. Isso tudo, sem contar também com as suas participações ao Acordeom, nas gravações em que acompanhou a Dupla "Palmeira e Biá". 
Ainda em 1956, Alberto Calçada também participou da gravação do primeiro Bolero Sertanejo, que foi o inesquecível sucesso "Boneca Cobiçada" (Biá - Bolinha), no Lado A do Disco 78 RPM Nº 80.1718 da RCA-Victor. No Lado B do mesmo disco, a Guarânia "Condenado" (Alberto Calçada - Diogo Mulero "Palmeira"). Ambas as Músicas interpretadas pela Dupla "Palmeira e Biá", tendo Alberto Calçada no Acompanhamento ao Acordeom. 
Em 05/03/1958, Alberto gravou a belíssima Valsa "Cascata de Lágrimas" (Moacir Braga), no Lado A do Disco 78 RPM Nº 80.1949 da RCA-Victor.

No Lado B do mesmo disco, o Tango "Paixão Gaúcha" (Alberto Calçada - Palmeira). 
No mesmo ano, juntamente com "Palmeira e Biá", Alberto Calçada passou a trabalhar num programa semanal na Rádio Record de São Paulo-SP. E, na mesma emissora, Alberto também participava de um programa que era dirigido pelo saudoso Vicente Leporace. 
E foi nesse mesmo ano de 1958 que o excelente Acordeonista gravou seu primeiro LP intitulado "Cascata de Valsas", que foi também o primeiro LP (CLP-2002) lançado pela gravadora Chantecher, cujo nome também foi uma sugestão de Alberto Calçada ("Chantechair" - uma raça de galo cantor).

"Alberto Calçada E Seu Conjunto", com esse maravilhoso, LP brindam o Apreciador com belíssimas interpretações de um maravilhoso repertório que nos faz viajar ao passado, lembrando "cenas interioranas".
Belíssimas Valsas tais como "Rapaziada do Bom Retiro" (G. Negrini), "São Judas Tadeu" (Palmeira - Luizinho), "Saudades de Minha Terra" (Décio Pacheco Silveira), "E O Destino Desfolhou" (Gastão Lamounier - Mário Rossi), além de uma regravação da célebre "Cascata de Lágrimas" (Moacir Braga), apenas para citar algumas! 
Em 1959, "Alberto Calçada E Seu Conjunto" lançaram seu segundo LP pela Chantecher (CMG-2016): "Cascata de Valsas - Vol. 2".

Também com belíssimas Valsas tais como "Santa Terezinha" (Antenógenes Silva), "Rosa Desfolhada" (Zequinha de Abreu), "Saudades de Uberaba" (Oscar Louzada), "Saudades de Tatuí" (Gaudio Viotti), "Saudades de Ouro Preto" (Antenógenes Silva - Edmundo Lys), além de uma belíssima interpretação de "Saudade de Matão" (Jorge Gallati - Antenógenes Silva - Raul Torres) (a Música cujo trecho o Apreciador ouve ao acessar essa página). 
"Alberto Calçada E Seu Conjunto" lançaram ainda os LPs Volumes 3, 4 e 5 de "Cascata de Valsas" entre 1960 e 1961.

E, para nossa felicidade, o Volume 1 e o Volume 2 foram remasterizados no CD "Alberto Calçada - Dose Dupla" lançado pela Warner Music! 
Alberto trabalhou durante vários anos na gravadora Chantecher, tendo participado da maioria das gravações como Técnico e onde também foi Produtor de Discos. 
A partir de 1961, Alberto Calçada começou a deixar a Vida Artística.

Pouquíssimo se sabe sobre sua Trajetória Musical a partir de então, apesar da Chantecher ter lançado seus LPs até o ano de 1977.

E, apesar de 20 LPs, mais os Discos 78 RPM e o Compacto Duplo, menos de 10% de suas gravações foram remasterizadas em CD. Os Volumes 1 e 2 de "Cascata de Valsas" foram uma exceção à regra... 
Alberto Calçada é um nome muito importante não apenas na Música Caipira Raiz, como Intérprete e Compositor, mas também na Seresta: em suas diversas gravações, esse excelente Acordeonista também demonstrou ser um dos melhores intérpretes de Zequinha de Abreu.

Tendo gravado belíssimas Valsas de sua autoria, tais como "Longe dos Olhos" (Zequinha de Abreu - Salvador J. de Morais), "Tardes Em Lindóia" (Zequinha de Abreu - Pinto Martins), "Último Beijo" (Zequinha de Abreu - Príncipe dos Santos), "Só Pelo Amor Vale a Vida" (Zequinha de Abreu - Naro Demostenes), "Amando Sobre o Mar" (Zequinha de Abreu - Arlindo Marques Júnior), "Aurora" (Zequinha de Abreu - Salvador J. de Morais) e "Branca" (Zequinha de Abreu - Duque de Abramonte), apenas para citar algumas! 

Como Compositor, Alberto Calçada é também Autor de belíssimas Jóias Musicais do Repertório Caipira Raiz, tais como "Viola Que Vale Ouro" (Tião Carreiro - Lourival dos Santos - Alberto Calçada) e "Cidade Morena" (Tião Carreiro - Lourival dos Santos - Alberto Calçada) (ambas gravadas pelo Tião Carreiro - Em Solo de Viola Caipira), além de "O Homem do Coração de Ouro" (Alberto Calçada - Antônio Queiroz) (gravada pelo Duo Glacial), "O Céu Chorou Por Mim" (Araldo José - Alberto Calçada) (gravada por Tibagi e Niltinho), "Condenado" (Alberto Calçada - Palmeira) (gravada por "Palmeira e Biá") e "A Rosa e o Jasmim" (Palmeira - Alberto Calçada) (gravada pelas Irmãs Galvão). 

Alberto Calçada também se destacou na interpretação de Quadrilhas de Festas Juninas, como podemos constatar no LP "Festa de Junho", gravado na Chantecher (CMG 2336) em 1965 e que apresenta uma seqüência de 16 Sucessos Juninos, sem interrupção entre as Músicas.
Dentre as diversas Músicas "interligadas", o Apreciador pode ouvir (e dançar) "Pula Fogueira" (Getúlio Marinho - João Bastos Filho), "Pedro, Antonio e João" (Oswaldo Santiago - Benedito Lacerda), "Chegou a Hora da Fogueira" (Lamartine Babo), "Cai Cai Balão" (Assis Valente), "Capelinha de Melão" (Alberto Ribeiro - João de Barro), "Isto É Lá Com Santo Antônio" (Lamartine Babo) e "Aí Que Tá" (Alberto Calçada), apenas para citar algumas! 

E, conforme já foi mencionado, Alberto Calçada também foi Produtor de Discos na Chantecher e, dentre suas produções, merece destaque a gravação do inesquecível "Coração de Luto" (Teixeirinha), que conta a triste história vivida pelo Intérprete e Compositor Teixeirinha, aos 9 anos de idade, e que vendeu mais de um milhão de cópias, além de ter sido gravada em 21 idiomas.
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário