Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

ADO BENATTI

"O Zé do Mato"
ADO BENATTI

Compositor. Escritor. Declamador. Poeta.

Nasceu em 23/9/1908 na cidade de Caxangá, MG.
Faleceu aos 54 anos, em 4/11/1962 na cidade de Pirapora do Bom Jesus, SP.
Biografia

Iniciou sua carreira cantando em grupos regionais em sua cidade natal. Compunha emboladas e se apresentava em programas de calouros.
Em São Paulo, começou trabalhando na Rádio Educadora Paulista com o Regional de Caxangá. Depois passou a atuar na Rádio Difusora de São Paulo e em 1940, começou a compor. Suas primeiras composições foram interpretadas por Caxangá e Chico Carretel.

A partir de 1947, adotou o pseudônimo de "Zé do Mato", pelo qual passou a ser conhecido. Em junho de 1946, a dupla, Tonico e Tinoco lançaram pela Continental um disco contendo a moda de viola "Destino de caboclo", de Tonico e Ado Benatti.
Era a primeira das muitas composições de Zé do Mato gravadas por variados compositores. Ado Benatti passou, então, a dedicar-se ao gênero sertanejo.
Em 1949, a mesma dupla, Tonico e Tinoco lançaram o sucesso "Besta ruana", outra parceria de Tonico e Aldo Benatti.

Em 1950 teve a toada "História das lágrimas", parceria com Serrinha, gravada na Continental pela dupla Serrinha e Caboclinho.
Em 1952 a dupla, Zé Pagão e Nhô Rosa gravou de sua parceria com Nhô Rosa a moda de viola "Não gosto da cidade".
Em 1954, o trio Luizinho, Limeira e Zezinha gravaram "Encontro do divino", parceria com Piraci. No ano seguinte, o mesmo trio gravou "Sagrado ofício", parceria com Teddy Vieira, gravação na qual Ado Benatti aparece declamando juntamente com Luizinho.

Em 1962 o Duo Batuíra gravou a canção rancheira "Aventureiro", parceria com Dito Mineiro. Suas composições foram gravadas, dentre outros, por Palmeira e Biá, Zé Carreiro e Carreirinho, Sulino e Marrueiro, Cascatinha e Inhana e Vieira e Vieirinha.
Também gravaram composições de Ado Benatti o Duo Guarujá, Inezita Barroso e o Trio Serrinha, Caboclinho e Rielinho.

Alguns de seus grandes sucessos como compositor foram "Bom Jesus de Pirapora" e "Transporte de boiada”. Publicou os livros de poemas "Musa cabocla" e "Alma da terra".
Escreveu também as histórias populares "Contos do Zé do Mato" e os versos populares "Tambaú, cidade dos milagres", "A morte do Dioguinho", "Bom Jesus de Pirapora" e "Os crimes de Dioguinho".
Foi autor também de diversas peças caipiras que alcançam sucesso ainda hoje. Dentre elas, podemos citar "Mão criminosa", com Tonico e Tinoco, "O filho do sapateiro" e "Sindicato dos malucos".

 Sua Obra

• A morte do Dioguinho (c/ Anacleto Rosas Jr. e Serrinha)
• A morte do Dr. Laureano (c/ Tonico)
• Abacaxi (c/ Zé do Rancho)
• Adeus querida (c/ Arlindo Pinto)
• Alma de gaúcho (c/ Jeca Mineiro)
• Anjo da candura (c/ Serrinha)
• As duas jóias (c/ Teddy Vieira)
• Aventureiro (c/ Dito Mineiro)
• Besta ruana (c/ Tinoco)
• Boi pegador (c/ Brinquinho e Brioso)
• Bom Jesus de Pirapora (c/ Serrinha)
• Caçador de esmeraldas (c/ Campos Negreiros e Cascatinha)
• Campeão piracicabano (c/ Teddy Vieira)
• Candidato pau-de-arara (c/ João Ferreira)
• Cenário de minha terra (c/ Luizinho)
• Cesta de Natal de pobre (c/ Tonico do Joazeiro)
• Chofer de estrada (c/ Luizinho)
• Circo de cavalinhos (c/ Serrinha)
• Cuiabana (c/ Tonico)
• Dá trabaio (c/ Izaías Vieira)
• Dama de vermelho (c/ Jeca Mineiro)
• Destino de caboclo (c/ Tonico)
• Embarcação de boi (c/ Arlindo Cociuffo)
• Encontro da Aparecida (c/ Teddy Vieira)
• Encontro divino (c/ Piraci)
• Estrada assombrada (c/ Iracema Padilha)
• Festa da Nhá Carola (c/ Zé Pagão)
• Filha de Maria (c/ Mário Vieira)
• Goianinha (c/ Patativa)
• Gosto de caipira (c/ Luís Lauro)
• O Guarda Civil(Ado Benatti)
• História das lágrimas (c/ Serrinha)
• Lacinho verde (c/ Rielinho)
• Malvado trem (c/ Valter Amaral)
• Mandamentos do chofer (c/ Sulino)
• Mão criminosa (c/ Tonico)
• Marreta (c/ Fernandes)
• Não gosto da cidade (c/ Nhô Rosa)
• O Bandeirante Fernão(c/ Campos Negreiros e Carreirinho)
• O canoeiro não morreu (c/ Teddy Vieira)
• O estouro da boiada (c/ Serrinha)
• O fim de Zé Carreiro (c/ Serrinha)
• Os crimes do Dioguinho (c/ Anacleto Rosas Jr. e Serrinha)
• Os três beijos do Calvário (c/ Campos Negreiros e Serrinha)
• Potranquinha castanha (c/ Serrinha)
• Promessa (c/ Campos Negreiro e Serrinha)
• Rita de Cássia (c/ Rodolfo Vila)
• Sagrado ofício (c/ Teddy Vieira)
• Santa Cecília (c/ Carlos Piazolli)
• Santo Antoninho da Rocha Marmo (c/ Rodolfo Vila e Zé Mineirinho)
• Saudação a São Paulo (c/ Serrinha e Campos Negreiros)
• Saudades de Curitiba (c/ Tinhão)
• Seis amigos (c/ Fernandes)
• Sucuri (c/ Zé Carreiro)
• Tapera da morte (c/ Torrinha)
• Terra de Anchieta (c/ Poli)
• Transporte de boiada (c/ Rui Oliveira)
• Trem baiano (c/ Lourival dos Santos)
• Três fitas (c/ Tonico)
• Um passo aqui, um passo ali (c/ Ângelo Reale)
• Velha palhoça (c/ Serrinha)
• Velhos amigos (c/ José Alfredo)
• Viva São Paulo (c/ Campos Negreiros e Zé Carreiro)

A biografia acima de Ado Benatti foi retirada do Belo Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, com nossos agradecimentos.





Nenhum comentário:

Postar um comentário