Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

quinta-feira, 24 de março de 2016

Mineiro e Manduzinho

 Mineiro e Manduzinho
A primeira formação da dupla Mineiro e Manduzinho surgiram por volta de 1954, tendo vencido um Festival da Rádio Record de São Paulo. O Mineiro era na verdade o compositor Alcindo Freire que compôs diversas músicas que foram gravadas por renomadas duplas caipiras tais como Vieira e Vieirinha e Zilo e Zalo, e Euclides Leite de Andrade (Manduzinho).
Mineiro e Manduzinho gravaram em 1955 seu primeiro disco 78 RPM pela RCA Victor, com as músicas "Rosa Traiçoeira" e "Preto de Alma Branca". No mesmo ano, gravaram mais quatro discos 78 RPM também na RCA Víctor.
Foi Teddy Vieira que lançou a dupla e também assinou 8 das 10 músicas gravadas nos 5 discos de 78 rpm na RCA-Víctor.


Foi a dupla Mineiro e Manduzinho a primeira a gravar o grande sucesso "João de Barro".
Depois de vencer 216 duplas de credenciados violeiros, num dos mais expressivos concursos de violeiros jamais realizados no Brasil, o do 4º Centenário da Fundação da Cidade de São Paulo, Mineiro e Manduzinho assinaram compromisso com a Bandeirantes e a RCA Víctor, onde lançaram uma bonita série de gravações, pautadas no mais puro estilo regionalista. O sucesso obtido pelas ondas da mais popular emissora paulista consagrou a querida dupla como uma das mais perfeitas cultoras das nossas tradições sertanejas.
Mineiro veio a falecer em 1958, ocasião em que a dupla já havia se desfeito. Com a morte do Mineiro, Teddy Vieira compões juntamente com Piraci a toada "Adeus do Mineiro" que foi a gravação de estreia da dupla Zilo e Zalo, em 1959.
E, com o final de carreira da dupla de tão pouca duração, Manduzinho voltou para Sorocaba, e veio a falecer em 05/02/2000.
Em 1974, apareceu uma nova dupla, que já havia gravado alguns discos com outro nome, com o qual não haviam feito sucesso. Os integrantes da dupla adotaram então o nome artístico de "Mineiro e Manduzinho" e participaram de dois na Marcus Pereira e também na Eldorado.
O trabalho pela Marcus Pereira se deu em 1974, quando Mineiro e Manduzinho participaram da série "Música Popular do Centro-Oeste/Sudeste", interpretando "Pagode", "Começo do Fim", "Chitãozinho e Xororó" e "Do Lado que o Vento Vai".
Dirceu Azevedo (o Mineiro da segunda formação), nasceu no dia 07 de março de 1941 em Orlandia, no interior do estado de São Paulo. Faleceu com apenas 57 anos de idade, no dia 18 de dezembro de 1998, na capital paulista, vítima de um infarto fulminante.
Inicialmente, quando ainda jovem e morando no interior, Dirceu Azevedo vagou por diversas emissoras de rádio, integrando a dupla "Vaqueiro e Vaqueirinho", sem resultados expressivos. Já na capital paulista, chegou fazer parte da dupla "Charanga e Chará", ocupando o lugar do Charanga, que havia falecido.
Algum tempo depois, Dirceu conheceu Sebastião Martins de Sousa que passou a ser seu companheiro de dupla com o nome artístico de Manduzinho, enquanto que Dirceu adotou o pseudônimo de Mineiro, na segunda formação "Mineiro e Manduzinho" que acabava de se formar.
E foi no ano de 1980 que Mineiro e Manduzinho participaram do álbum duplo "Caipira - Raízes e Frutos", lançado pela Eldorado.
Gravaram em 1982 o LP "Versos, Vozes e Viola" pela RA Gravações de Rubens Avelino.

Fonte garagemmp3

Nenhum comentário:

Postar um comentário