Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

domingo, 11 de novembro de 2012

Bandeirinha e Goianinha 11/11/12

Bandeirinha e Goianinha
Ivonilto Alves Bandeira e Nélia Maria Bandeira são os nomes verdadeiros de “Bandeirinha e Goianinha”, dupla sertaneja de Goiás.
Exerceram atividades artísticas, no rádio e no disco, nas décadas 60/70.
Ainda crianças apresentavam-se na Rádio Difusora de Goiânia, no tradicional programa “No Mourão da Porteira”, do inimitável e autêntico apresentador Claudino Silveira, que foi também o padrinho artístico da famosa dupla que usava o slogan de “A Dupla Mirim da Difusora”.


 “Bandeirinha e Goianinha” gravaram pela gravadora Califórnia, três álbuns.
Sendo: um compacto duplo (quatro músicas) e dois Lps (Vinil) contendo doze músicas cada um.
Em 1973 a dupla foi desfeita.
A Goianinha casou-se e se afastou do meio artístico.
Bandeirinha formou dupla com Paulo Vinhal, que adotou o pseudônimo de Bandeirito. “Bandeirinha e Bandeirito” brilharam nos palcos do cenário musical goiano por um bom espaço de tempo, após terem gravado na gravadora Chororó um ótimo Lp (Vinil). Infelizmente havia muita incompatibilidade de gênio entre os integrantes da dupla, e, por isto, acabaram se separando (o que foi uma pena).
Uma trajetória promissora, muitas vezes pode ser interrompida por desentendimentos pessoais, pela intransigência de um, ou, pela falta de ética profissional do outro.
Eu pessoalmente não vou entrar no mérito da questão.
Só posso dizer que quem mais perdeu com a separação da dupla foi os fãs.
A Goianinha desfruta do respeito, da amizade e da admiração de todos nós que exercemos a Arte de cantar e de compor músicas, de certa forma esteve sempre ligada ao nosso meio artístico.
 Motivo pelo qual, no ano (2010) eu a convidei para gravar uma faixa no CD “Marrequinho 50 anos de musica”, disco que teve o apoio da Prefeitura de Goiânia, através da Secretaria Municipal da Cultura (SECULT).
Acho que, motivada pela nossa amizade que o tempo não conseguiu corromper, ela aceitou meu convite, mas, havia um pequeno problema para ser resolvido:
Seu irmão e ex parceiro Bandeirinha se recusou a fazer um dueto com ela na música “Sorriso Triste” uma composição minha em parceria com o próprio Bandeirinha.
Por que ele se negou a gravar uma faixa de disco com sua irmã e parceira de longa jornada pelos caminhos da Arte, eu não sei dizer.
Assim, decidimos “arranjar emprestado” um parceiro que fosse condizente com o seu estilo de interpretação.
Finalmente, quem se prontificou com a maior boa vontade a improvisar uma dupla com a Goianinha foi um nosso amigo comum, nada mais nada menos do que o Creone.
Isso mesmo, Creone, famosíssimo integrante do “TRIO PARADA DURA”.
Assim, a Faixa 8, do disco comemorativo dos meus cinqüenta anos de música mostra a belíssima  interpretação de uma dupla (improvisada) formada por pessoas que merecem todo o meu respeito, minha amizade,  minha admiração e a quem rendo um preito de gratidão; 
Fonte   http://blogdomarrequinho.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário