Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

domingo, 26 de maio de 2013

Cleyton e Cristiane 26/05/13


Cleyton e Cristiane
José Sales de Oliveira (Cleyton) e Silvandira Donizete Domingues (Cristiane) nasceram em Araçatuba, no estado de São Paulo.
Iniciaram a carreira em 1978, quando lançaram o primeiro disco. Fizeram sucesso em todo o país com músicas sempre voltadas ao estilo sertanejo romântico.
Na década de 1980, eles participaram de diversos programas de televisão e chegaram a liderar paradas de sucesso em várias partes do Brasil com a música "A Paz que Eu Não Tive", de composição dos próprios artistas. 




A dupla se separou em meados de 1988, depois de sete discos gravados.
Depois da separação da dupla, Cristiane investiu na carreira solo e na produção de outros artistas. Ela trabalhou com Gerson e Jaime, outra dupla araçatubense, e com o grupo As Mineirinhas, entre outros.
Cristiane faleceu na madrugada de 20 de fevereiro de 2003 em Araçatuba, aos 41 anos, vítima de câncer.
Cleyton se mudou para São Paulo e atualmente faz parceria com o cantor Cleber formando a dupla "Cleyton e Cleber", que tem como padrinho o cantor Marrone, da dupla Bruno e Marrone.
Marrone foi por muito tempo sanfoneiro de Cleyton e Cristiane.
Cristiane
Iniciou a carreira artística no final de década de 1970, quando formou uma dupla sertaneja com o cantor e compositor Cleyton, com quem formou dupla e foi casada. Em 1979, teve sua primeira composição gravada, "Porto Rico", parceria com Faffy e Sarah Benchimol, lançada pela cantora Faffy, no LP "Posso falar?", do selo Epic/CBS. Em 1980, no primeiro disco lançado pela dupla Cleyton e Cristiane, "Eu não sou o que você pensa", pela Chantecler, teve três músicas suas gravadas: "Cumpra seu desejo", com Cleyton; "Refúgio", com Ana Rosa e Florai, e "Porque dizer adeus".
Em 1981, no LP "Cleyton e Cristiane - Volume 2", também lançado pela Chantecler, foi gravado mais quatro composições de sua autoria: "Surpresa da vida", com Milton José; "A paz que não tive" e "O bom rapaz", com Cleyton, e "Juízo final", com Milton Nellis.
Em 1982, a música “Arrependida”, com Cleyton, foi gravada pelo Duo Esmeralda, em disco da Chantecler, enquanto o Trio Classe A gravou "Sem pedir licença", com Cleyton, no LP "Carga pesada", também da Chantecler. Em 1984, o LP "Cleyton e Cristiane - Volume 4", da Sertanejo/Chantecler, incluiu as seguintes composições de sua autoria: "Só quero você", com Darci Rossi; "Minhas queixas", com Tomáz; "Amor sem final feliz", com Cleyton e Rogerinho; "Meu bom amigo (O roceiro)", com Cleyton e José Russo; "Quem me dera ser", com Cleyton; "Tapete da sala", com Cleyton e Osvaldo Galhardi, e "Marcas de um amor", com Cleyton e José Homero. Em 1985, no LP "Asa delta (Voando livre)", lançado na gravadora Continental, pela dupla César e Paulinho, foram gravadas as músicas "Você é linda" e "Meu recado", ambas com Cleyton. Já a dupla Ana Rosa e Flora gravou, no mesmo ano, pela Chantecler, as músicas "Não Consigo te esquecer", "Arrependida" e "Não quero lembranças", todas com Cleyton. Ainda em 1985, teve mais quatro composições gravadas: "Eu e você" e "Meu jeito de amar", com Cleyton, registradas pela dupla Francisco e Fabiano, na Chantecler, e mais duas pela dupla Leivi e Leivan, também em disco Chantecler: "Calendário da saudade", que deu nome ao disco, e "Não sou nada sem você", ambas com Clayton.
Em 1986, no quinto disco da dupla Clayton e Cristiane, o primeiro pela gravadora Continental, foram incluídas as seguintes composições de sua autoria: "Louca muito louca"; "De pai para filho"; "Eu não sou brinquedo seu"; "Eu já não me importo", e "Noite de amor", as cinco com Cleyton, "Empate no amor", com Vicente Dias, e "Magia do amor", com Henrique Barbosa. Em 1987, a dupla Cleyton e Cristiane voltou para a gravadora Chantecler e lançou seu sexto LP que incluiu mais seis composições de sua autoria: "Dona do meu mundo"; "Vai ser assim"; "Quando recordo você"; "Livre leve e solto" e "Simplesmente amigos", com Cleyton, e "Brindando você", com Cleyton e Milton Nellis.
Em 1989, a dupla Cleyton e Cristiane transferiu-se para a RGE e, no primeiro LP na nova gravadora, foram incluídas quatro composições de sua autoria com Cleyton: "Outro sentido"; "Por você"; "Quem sabe um dia" e "Força e fé". Em 1991, sua música "Multidão" foi gravada em disco Copacabana pela dupla João Renes e Reny. Teve mais de 40 músicas registradas em gravação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário