Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Vitor e Marcos 25/10/13

Vitor e Marcos
A dupla Vitor e Marcos agora conhecida como Bruno e Matheus ainda crianças, os dois filhos do seu Manuel Pires, humilde catador de material reciclável, saíram do interior de Goiás e pegaram a estrada em busca do sonho de nove entre 10 meninos da região: virar estrela da música sertaneja, como fizeram tantos conterrâneos.


Marcos Melo Almeida, 21 anos, e Wallace de Melo, de 23, ou simplesmente Bruno e Matheus, entraram de vez na correnteza do sucesso. Mesmo com pouca idade, a dupla, radicada em Brasília há cerca de um ano, completa neste mês (agosto/2009) 17 anos de carreira, e está despontando como uma das promessas do sertanejo no país.
Tanto é que foi escolhida como dupla oficial da Fórmula Truck e vem se apresentando nos principais eventos do gênero do país, como a Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos/SP, tida como a mais importante de todas. Brunno e Matheus vão subir ao palco no encerramento do Barretão.
“Barretos é um presente de Deus e estamos muito ansiosos. Mas é um reconhecimento pelo nosso trabalho, do nosso esforço. Agora estamos lá pelas próprias pernas. E não nos deslumbramos mais. Temos muito chão pela frente”, destaca Matheus, cujo primeiro violão foi achado pelo pai em meio ao lixo, em Anápolis/GO, quando o músico tinha apenas 6 anos de idade. “Era só uma carcaça de violão. Nem corda tinha. Tivemos que improvisar com linha de pescar”, recorda.
A festa no interior de São Paulo não é tão novidade para esses jovens cantores e compositores. No começo de 2000, apadrinhados por Chitãozinho e Xororó, eles integraram o projeto Caravana Brasil, que reunia jovens talentos sertanejos. Chegaram a se apresentar não só em Barretos, mas em outras grandes festas e eventos Brasil afora. Gravaram discos, participaram de vários programas de TV e até foram indicados, em 2003, ao Grammy Latino na categoria disco e canção, com a música: "Onde tem fumaça, tem fogo".
“Chitãozinho e Xororó nos descobriram quando nos viram no programa do Gugu.
Em 1998, o Gugu veio a Goiânia cobrir o seqüestro do Wellington Camargo, irmão do Zezé di Camargo e Luciano. Juntou um monte de gente na porta do SBT e fomos lá também. “Só que estava lotado e a gente tinha que dar um jeito de chamar a atenção”, lembram.
A solução encontrada foi fazer o que mais gostavam: cantar. Quando uma repórter entrou para fazer um link ao vivo, os meninos não perderam tempo. Na mesma hora, a jornalista reparou e os colocou para conversar ao vivo com Gugu. “Ele gostou muito da gente cantando e acabou nos levando para o Domingo legal. Foi aí que o Chitão e o Xororó nos descobriram”, gostam de repetir.
Vida nova
A dupla, sob os nomes de Vítor e Marcos, acabaram se mudando para Campinas/SP e começaram a se destacar.
No entanto, outras duplas também estavam surgindo no cenário nacional e o interesse da mídia foi se esvaindo, mesmo sob a proteção de Chitãozinho e Xororó. “De repente, perdemos o interesse. Além do mais, todo aquele sucesso não era nosso. Tivemos uma queda muito grande. Esse momento foi crucial, porque a gente estava questionando se ia seguir ou não naquela carreira. E continuamos, apesar das dificuldades”, lembra Matheus.
A dupla tentava se reerguer e passou a se virar sozinha. Matheus conta que chegava a entrar em contato com várias rádios do país e até do exterior para tentar buscar espaço. “Eu ligava falando que era produtor e estava divulgando a nossa dupla, que na época se chamava Vítor e Marcos. Chegamos a tocar ao vivo em uma rádio do México”, conta.
No entanto, Bruno não estava nada satisfeito com essa situação e no começo do ano passado, decidiu voltar para Anápolis/GO, deixando toda a família em Campinas. “Nosso pai, mãe, todo mundo mudou por nossa causa para São Paulo. Mas, mesmo assim, eu não queria ficar lá e voltei para Goiás. Estava muito insatisfeito, era muita pressão”, desabafa.
Matheus seguiu o caminho do irmão e Anápolis significou um reinício. “Começamos do zero de novo. Encontramos as pessoas certas, um novo grupo de empresários. Até o nosso nome mudou. Deixamos para trás Vítor e Marcos e viramos Brunno e Matheus. Agora sim, estávamos andando com as próprias pernas”, destaca Brunno.
Hoje, Brunno e Matheus, mesmo não negando as raízes anapolinas, são conhecidos como uma das duplas sertanejas de destaque da capital federal.
Preparam-se para a gravação do CD "Andarilho do Destino" e também para o primeiro DVD da carreira, que será gravado no Marina Hall e deve ter a participação de várias duplas.
Bruno e Matheus contam com várias comunidades no Orkut (uma até internacional) e com fã-clubes espalhados por alguns estados, como o de Itabaiana, em Sergipe, considerado o principal deles. “É meio inexplicável esse sucesso em Sergipe. Fizemos um show lá e ficamos conhecidos da noite para o dia, tamanha a divulgação e repercussão. Foi uma surpresa todo esse carinho do povo de lá”, destacam.
Nas cidades do Distrito Federal e do Entorno, onde a dupla faz shows regularmente, também já há um grupo grande de fãs.

Biografia enviada por Elizabeth em 16/12/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário