Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Fernando e Osmair:

Fernando e Osmair:
Tive o prazer de conhecer essa excelente dupla caipira raiz por ocasião do IV Encontro de Folias de Reis do Distrito Federal em Janeiro de 2004, em um inesquecível show no qual Fernando e Osmair dividiram o palco com Vanderley e Valtecy, Pardal e Fabinho e também Zé Mulato e Cassiano. Ver mais detalhes sobre o evento na página dedicada à dupla Zé Mulato e Cassiano.
Também tive a felicidade de rever Fernando e Osmair no II Encontro de Violeiros que teve lugar em 14/03/2004 em Ribeirão Preto-SP (foto à esquerda) (ver mais detalhes sobre esse encontro no resumo biográfico de Pereira da Viola na página dedicada aos Novos Caipiras). 
Antônio Fernando Coelho (nascido em 25/12/1969) e Osmair Vieira Lemos (nascido em 28/09/1968) moram em Frutal - MG, cidade do Triângulo Mineiro onde residem há vários anos e que eles têm como se fosse a própria Terra Natal. E foi em Frutal que os dois se conheceram e formaram a dupla.


Fernando na Viola e Osmair no Violão têm talento que se compara aos mais renomados Violeiros do Brasil e vêm sendo considerados como sendo a grande esperança para a manutenção do "Estilo Dupla Caipira Raiz".
Tem Sangue Novo na praça,
Caipira se sente honrado,
A Viola e o Violeiro
Vão muito bem obrigado...


A música "Sangue Novo" (Zé Mulato - Cassiano) que abre o CD homônimo (VBS001) lançado pela VBS - Viola Brasileira Show é uma verdadeira homenagem que Zé Mulato e Cassiano fazem aos Novos Caipiras que vêm defendendo "com unhas e dentes" o Estilo Raiz. E, dentre esses Novos Caipiras, também estão incluídos Fernando e Osmair! Ao que consta, parece ter sido o "chamado" do CD "Sangue Novo" que incentivou a jovem dupla a procurar a Capital Federal!
Fernando e Osmair seguiram para Brasília, atraídos pela Viola de Zé Mulato e lá chegaram a busca de repertório para o primeiro CD que desejavam gravar.
E receberam 5 músicas de autoria de Zé Mulato e Cassiano, além de composições de Antônio Vitor, Tião do Carro, José Caetano Erba, Dino Franco, Nhô Chico, Goiano e Zé Batuta, dentre outros.
 E foi na Capital Federal, pela VBS - Viola Brasileira Show, que Fernando e Osmair gravaram o CD "Destino de Violeiro", considerado um dos melhores do gênero Caipira Raiz dos últimos tempos, e que conta com a participação de renomados músicos tais como Grilo, no Acordem, Fábio Pessoa (Fabinho) no Contra-Baixo, além de Zé Mulato e Cassiano na Viola e no Violão, respectivamente. O CD foi produzido pelo Cassiano e é o VBS-005 da VBS - Viola Brasileira Show. O respectivo CD também é distribuído pela Kuarup Discos.
A dupla também é admirada por outras duplas famosas tais como Chico Rey e Paraná, Gino e Geno, e Goiano e Paranaense, além de ser "apadrinhada" por Zé Mulato e Cassiano. 
Zé Mulato, por sinal, considera "Destino de Violeiro" como "o melhor primeiro disco de uma dupla que já ouviu..."
Além da faixa título, que é o Cururu "Destino de Violeiro" (Zé Mulato), conforme já foi mencionado, também estão presentes no CD mais quatro composições de Zé Mulato que são "Desabafando" (Zé Mulato), "Nas Cinzas do Meu Passado" (Zé Mulato), "Pose de Rainha" (Zé Mulato) e "Questão de Tempo" (Zé Mulato). Também merecem destaque as faixas "Meu Retrato" (Tião do Carro - José Caetano Erba), "A Cachaça e o Fumo" (Nhô Chico - Dino Franco) e "Garganta do Mundo" (Tião do Carro - Caetano Erba).
Contato para shows e venda de CDs:
VBS Produções: (61) 301-1267 ou (61) 9964-7945
E-mail: violabrashow@brturbo.com

 Geraldo Viola e Dino Guedes:
O "Estilão" está de volta com força total!
"Estilão" foi um termo surgido na década de 1960 fazendo referência principalmente às Modas de Viola em ritmo de Pagode Caipira; é Música Sertaneja Raiz, alegre, divertida, que fala das belezas da natureza, do amor, da fé, da esperança.
É a Poesia Sertaneja cantada com irreverência, porém, comprometida com a Formação Cultural, principalmente da juventude.
E, naturalmente, os maiores representantes desse estilo foram Tião Carreiro e Pardinho, a quem muito devemos.
Geraldo Viola e Dino Guedes tem como objetivo resgatar e preservar a Cultura Sertaneja e, em suas apresentações pelo Interior do Brasil, cantam os diversos estilos sertanejos com atenção especial ao Pagode de Viola, estilo muito apreciado e que, no entanto vinha sendo pouco trabalhado pelos Novos Caipiras.
A jovem dupla começou a chamar a atenção de apresentadores que vinham a eles se referindo como “Os Novos Reis do Pagode” e o fato foi ganhando forma em tal proporção que Geraldo Viola e Dino Guedes passaram a se identificar cada vez mais com esse slogan.
Nascido em Palmerina - PE, Geraldo Viola passou a residir em Itanhaém - SP, no Litoral Sul do Estado, com apenas 3 meses de vida e, alguns dias depois, foram registrados na cidade de Santo André-SP, no ABC Paulista.
Geraldo cresceu juntamente com pescadores do Litoral Sul de São Paulo e ajudava-os a separar os peixes que eram vendidos nas barracas à beira-mar; o bom gosto musical começou quando cursava o Segundo Ano Primário quando, tocando Tamborim, formou na escola um trio, juntamente com os amigos Getúlio e Valter, que tocavam Cavaquinho e Violão, respectivamente. Faziam a festa da turminha, cantando músicas do repertório do "Trio Irakitan" e também do repertório de Teixeirinha.
Aos 10 anos de idade, Geraldo trocou Itanhaém-sp pela Capital Paulista e passou a cantar sozinho. Em, 1964, quando contava 15 quinze anos, formou com outros três amigos o grupo "Os Filhos do Sol", no Parque São Lucas, bairro da Zona Leste de São Paulo-SP. E foi nessa época que Geraldo teve os primeiros contatos com a Viola Caipira; segundo ele, foi "amor à primeira vista"...
Tendo como referência célebres intérpretes do quilate de Zé Carreiro e Carreirinho e Tião Carreiro e Pardinho, além de "Bambico, Julião e Vanuque", em pouco tempo Geraldo passou a dominar a técnica do tradicional instrumento musical caipira e foi aprendendo sua afinação, descobrindo sua escala e desenvolvendo seu próprio método, aproveitando também um pouco da técnica de Violão que já possuía.
Em 1980 foi formada a dupla "Geraldo Viola e Argemiro" a qual gravou no ano seguinte um LP que vendeu cerca de 52 mil exemplares. A dupla se desfez em 1988 e nesse ano foi formada a nova dupla "Geraldo Viola e Continente", a qual durou até 1991. No ano seguinte Geraldo formou com Darci Laurindo Barbosa a dupla "Geraldo Viola e Pantanal", que gravou em 1996 o CD "Comitiva da Saudade" pelo selo Allegretto. A dupla existiu até o ano 2000, quando Geraldo passou a cantar em dupla com Dino Guedes.
Dino Guedes nasceu em Santa Vitória-MG, no distrito de Perdilândia, pequeno povoado na divisa dos Estados de Minas Gerais e Goiás. Às margens do rio Paranaíba, Dino acompanhava seu avô materno em suas pescarias; e, nas horas de folga, ajudava seu pai na lida com o gado.
Seu pai, o Sr. Domingos de Freitas Guedes, era boiadeiro de profissão, além de Violeiro e Cantador nas Festas de Folias de Reis e também era Catireiro por tradição (a Família Guedes - Catireiros de São Simão-GO).
Com apenas 7 anos de idade, Dino acompanhava seu pai e dois irmãos mais velhos em pequenas viagens tocando boiada, conduzindo a "madrinha" e o cargueiro; e, nas pousadas da boiada, seu pai lhe ensinava as primeiras lições com o Berrante e ensinava alguns passos da dança da Catira.
Acordavam bem cedinho, quando o sol surgia; "o maior espetáculo da Terra acontece e tantos ainda dormem...", de acordo com seu pai.
Dino passou a freqüentar os bancos escolares aos 11 anos de idade e, dois anos depois, passou a morar em Ituiutaba - MG, onde continuou com os estudos. E foi nesse período que faleceu seu pai e, conseqüentemente, Dino passou a trabalhar no comércio, ficando o estudo para o período noturno, além da responsabilidade de cuidar dos demais irmãos, juntamente com sua mãe, Dona Lorica. Em meio a tais dificuldades, Dino batalhou e chegou à Universidade, tendo cursado Administração de Empresas e Ciências Contábeis. E foi somente no período universitário que Dino retomou o sonho de seguir carreira musical: em festinhas com amigos, despedidas de solteiro, participação no coral da Igreja e em noites de serenatas nas quais Dino tocava seu Violão.
Dino Guedes levou a sério a vida profissional, tendo trabalhado em lojas de materiais de construção e também numa fábrica de cimento, além do negócio próprio que passou a tocar em 1990. Foi também Professor Universitário, tendo ministrado aulas em cadeiras diversas, destaque para Administração Mercadológica e Marketing, além de ter sido pós-graduado em Contabilidade, Análise e Gerenciamento pela UFU-MG e Comunicação e Marketing pela Fundação Casper Líbero em São Paulo-SP.
No entanto, da vida de menino da roça ao Empresário e Professor Universitário, Dino sentia que ainda havia um "vazio", uma certa angústia, frustração... Algo como que uma "sensação de incapacidade"... Como o próprio Dino Guedes nos diz, ..."eu não sabia bem o que era, mas quando eu ouvia uma Música Raiz, daquelas que tem o cheiro da terra, eu arrepiava completamente e isso me incomodava muito...".
E foi desse "desconforto" que surgiu o Projeto Brasil Sertanejo que tem como objetivo o resgate e a preservação da Cultura Sertaneja, dando oportunidade aos mais jovens para poder usufruir dessa maravilhosa expressão de vida.
Para realizar esse excelente projeto, sabia que precisaria de um bom parceiro: foi quando Dino formou a dupla com Geraldo Viola, que era seu grande amigo, além de ter sido seu professor de Viola, enfim, alguém a quem Dino Guedes admirava intensamente.
A versatilidade da jovem dupla passou a surpreender o Brasil inteiro, no resgate de grandes sucessos dos mais diversos Compositores e Poetas, além de composições próprias inéditas e também músicas inéditas de novos compositores.
Geraldo Viola e Dino Guedes possuem um amplo repertório, com mais de 400 músicas, incluindo todos os estilos, principalmente na Música Caipira Raiz, além de ritmos característicos como Xote, Arrasta-Pé, Vanerão, Balanço, Guarânia, Rasqueado, Canção Rancheira, Batidão, Valseado, Cururu, Querumana, Cateretê, além da Modas de Viola e do Pagode Caipira!
Quero aqui convidar o Apreciador a visitar o Site Oficial de Geraldo Viola e Dino Guedes, com riquíssimas informações sobre a História da Viola, biografias dos dois integrantes, venda dos CDs, além de informações sobre o excelente Projeto Brasil Sertanejo, e também diversas músicas do repertório da dupla, com o nome dos Compositores e também as letras das mesmas. O Site Oficial da dupla é também o meio de contato para shows.
Geraldo Viola e Dino Guedes gravaram os seguintes CDs:
Brasil Sertanejo, produzido por Discos Califórnia, contou com a participação de Marquinho nos Teclados, Viana na Percussão e no Baixo, Nhozinho no Acordeom, além de Geraldo na Viola Caipira e Dino Guedes no Violão. O primeiro CD também contou com a Direção Artística de João Januário e com a Coordenação Geral de Ariovaldo Allegretti. Destaque para as músicas "Porta do Mundo" (Peão Carreiro - Zé Paulo), "Final dos Tempos" (Lourival dos Santos - Tião Carreiro), "Baiano No Coco" (Moacyr dos Santos - Vaqueirinho), "Viola Vermelha" (Jesus Belmiro - Tião Carreiro) e "Casando Fugido" (Piraci - A. P. de Toledo).
Presa Acuada, produzido por Replayer Produções Fonográficas, contou com a participação de Maguinho, Gamaliel e Elton Ricardo na Bateria, Gamaliel de Souza no Violão, na Guitarra e no Baixo, Gamaliel e Elton Ricardo nos Teclados e na Percussão, Maestro Martinez no Trompete, Flavinho no Acordeom, além de José Vitor e Geraldo na Viola Caipira, e Elton Ricardo, Laura e Oziel vocais.
O segundo CD contou também com a Direção Executiva de Renato Silveira Lima, Produção Executiva de Lello Promoções Artísticas e Direção Geral do próprio Dino Guedes. Destaque para as músicas "Viola Perfeita" (Manoel Lacerda Lima - Geraldo Viola), "Falcão Ferido" (Geraldo Viola - Theo Ferreira), "Amor de Goiana" (Dino Guedes - Theo Ferreira), "Perdido na Madrugada" (Benedito Seviero - Geraldo Viola), "No Silêncio da Madrugada" (Benedito Seviero - Geraldo Viola), além da faixa-título "Presa Acuada" (Dino Guedes - Theo Ferreira).
Abrindo O Baú, produzido por S. B. F. Simbrasil Fonográfica, contou com a participação de Gamaliel de Souza na Bateria e Percussão, no Baixo e nos Violões; Marcos Violeiro na Viola e Wilsinho no Arcordeon. Arranjos e Regência a cargo de Gamaliel de Souza. O CD também contou com a Direção de Lançamento de Donizete Santos, Coordenação Geral de Alexandre Santos, Produção Artística de Gamaliel de Souza, Mixagem a cargo de Gamaliel de Souza e Fábio Gaspar, Masterização a cargo de Paulo Ferreira (Oficina de Áudio e Vídeo), Design Gráfico a cargo de Delin Fotolitos São Paulo e Supervisão Gráfica a cargo de Cláudio Godoy. Gravado no Beck Studio (Ituiutaba-MG) e distribuído pela Caravelas / Sony Music. Destaque para as músicas "Pousada de Boiadeiro" (Tião Carreiro - Dino Franco), "Guerreiro do Asfalto" (Donizete Santos - Tião Carreiro), "Aquarela Sertaneja" (Luiz de Castro - Tião Carreiro), "Em Tempo de Avanço" (Lourival dos Santos - Tião Carreiro) e "Versos aos Pés do Homem" (Geraldino - Tião Carreiro).
Do Jeito Que O Povo Gosta, produzido por S. B. F. Simbrasil Fonográfica, também contou com a participação de Gamaliel de Souza na Bateria e Percussão, no Baixo e nos Violões; Geraldo Viola e Marcos Violeiro na Viola, além de Wilsinho e Thiago no Arcordeon. O CD também contou com a Direção de Lançamento de Donizete Santos, Coordenação Geral de Alexandre Santos, Produção de Gamaliel de Souza, Mixagem a cargo de Fábio Gaspar, Design Gráfico a cargo de Delin Fotolitos São Paulo e Supervisão Gráfica a cargo de Cláudio Godoy. Distribuído pela Caravelas / Sony Music. Destaque para as músicas "Perdido na Madrugada" (Benedito Seviero - Geraldo Viola), "Do Jeito Que o Povo Gosta" (Donizete Santos), "Velho Amor" (Donizete Santos - Tião Carreiro) e "Chamada a Cobrar" (Donizete Santos - Tião Carreiro).
Contato para shows:
Sociedade de Eventos: (11) 3259-0822
E-mail: gibson@sociedadedeeventos.com.br
dinoguedes@uol.com.br

Ou através do Site Oficial de Geraldo Viola e Dino Guedes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário