Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Bambico

Bambico
Domingos Miguel dos Santos
http://www.dicionariompb.com.br/images/icone/nascimento_verbete.gif 1944 Umuarama, PR
http://www.dicionariompb.com.br/images/icone/morte_verbete.gif 1982 São Paulo.
Considerado um dos maiores violeiros da História da música caipira, é, no entanto, uma figura muito pouco conhecida, já que sua carreira desenvolveu-se principalmente como músico de estúdio.

Segundo Pedro Lemos Barbosa, o Pinho, criador e diretor da Revista Viola Caipira, “... se Tião Carreiro é considerado o 'Pelé da Viola', Bambico foi sem dúvida o 'Garrincha dos Violeiros', tendo sido um verdadeiro artista nas artimanhas dos Ponteios". Sua atuação foi fundamental para a criação do pagode sertanejo. Na segunda metade dos anos 1970, formou dupla com Bambuê, com quem gravou dois LPs, "Viola e violão" e "É fogo no fogo". 


Em 1980, formou, com João Mulato, a dupla João Mulato e Douradinho, gravando os LPs "Saudade de um amor que passa" e "Meu reino encantado". Tocou viola caipira em disco de Tião Carreiro, para quem criou introduções para diversos pagodes, e também em discos da dupla Jacó e Jacozinho. Em 1969, teve suas primeiras composições gravadas pela dupla Jacó e Jacozinho: "Doce de coco" e "Chuva de arroz", parcerias com Moacir dos Santos. No ano seguinte, "Lembrei de ti", com Benedito Seviero, foi gravada por Jacó e Jacozinho, no LP "Mãezinha querida", da Caboclo/Continental. Em 1975, "Canta viola", com Wanderley Martins, foi gravada pela dupla Cruzeiro e Oriente, em disco Phoenix. Em 1977, a toada "Minha vez de cantar", com Dino Franco, foi lançada pela dupla Zé Mineiro e Mirandinha no LP "Terra de Deus", da gravadora Caboclo/Continental, sendo regravada dois anos depois pela dupla João Ferreira e Ferreirense. Em 1978, quatro composições suas, em parceria com Moacir dos Santos, foram gravadas pela dupla Licio e Lina, no LP "Brasil amado" da Sertanejo/Chantecler: "Turma da pesada"; "Ei Paraná"; "Morrer na solidão", e "Você Sabia". Em 1979, lançou o LP solo "Função de violeiro", pela Sertanejo/Chantecler, no qual interpretou "Seleção de Pagodes N° 1", que incluiu os pagodes "Violinha barulhenta"; de Moacir dos Santos e Lourival dos Santos; "Azulão do Reino Encantado", de Lourival dos Santos, Pardinho e Arlindo Rosa; "A viola é meu futuro", de sua autoria; "Meu recanto", de Moacir dos Santos e Joaquim Moreira; "Eu, ela e o cavalo", de Moacir dos Santos e Jacozinho; "João Sem Medo", de Pardinho e Tião do Carro e "Sanfoneiro folgado", de Mário Zan e Motinha. Também no disco: o "Pot-pourri Nº 1", que incluiu as músicas: "Boiadeiro apaixonado" e "Moda da mula preta", de Raul Torres; "Baião da Serra Grande", de Fred Williams e Palmeira; "Sarita", de B. Toledo e Santos Rodrigues; "Brincando com a viola", de sua autoria e José Homero Béttio, e "Ferreirinha na viola", de Rossini Tavares de Lima, com adaptação de Dino Franco; a seleção de pagodes nº 2, com as músicas: "Jogo do amor", de Zezito e Zeca; "Ninho de saudade", de Pardinho e Mairiporã; "Minha vez de cantar", de sua autoria e Dino Franco; "Cavalo enxuto", "Eu acho é bom", e "Pé quente", as três de Moacir dos Santos e Jacózinho; o "Pot-pourri Nº 2", com as músicas "Cabocla Tereza" e "Mourão da porteira", da dupla Raul Torres e João Pacífico, e "Piracicaba", de Newton de Almeida Mello, e, ainda, a "Seleção de pagodes N° 3", com os pagodes "Canta viola", de sua autoria e Wanderley Martins; "Origem da Vila", de Sebastião César Franco e Paulo Roberto Franco; "Sorriso da viola", de sua autoria; "Longa caminhada", sua e de Liu, e "Retirada", de Augusto Toscano, além das músicas "De papo pro á", de Joubert de Carvalho e Olegário Mariano, "O astronauta", sua e Pedro Jacob, e "Função de violeiro", de sua autoria. Lançou, em dupla com Bambuê, pela Caboclo/Continental, o LP "Viola e violão". Ainda em 1979, teve a música "O destino escolheu assim", com Campanha, interpretada pela dupla Divon e Alan. Em 1982, poucos meses antes de falecer, lançou o LP solo "Brincando com a viola", pela gravadora Chantecler. No mesmo ano, foram gravadas três composições de sua autoria: "A vitrola da vizinha", com Moacir dos Santos, pela dupla Irídio e Irineu, no LP "O menino e a rosa", da gravadora Copacabana, "Aluga-se ou vende-se uma casa", com André e Andrade, pela dupla André e Andrade, no LP "Amando escondido", da Chantecler, e "Milagre do sonho", com Wera Liz e Orlandinho, pelo grupo As Gaivotas, no LP "Gotinha d'água", da gravadora Rodeio/WEA. Como compositor, seu principal parceiro foi Moacir dos Santos, tendo músicas gravadas por duplas como Jacó e Jacozinho, André e Andrade e Irídio e Irineu.  Em 1994, participou, tocando viola, do disco da dupla Pena Branca e Xavantinho "Uma dupla brasileira", do selo RGE, produzido por Lurdinha Pereira. Em 2010, teve a sua composição "Brincando com a viola" gravada pela cantora e violeira Bruna Viola. Em 2013, foi homenageado ao vencer o Prêmio Rozini de Excelência da Viola Caipira, promovido pelo Instituto Brasileiro de Viola Caipira, na categoria Referência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário