Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

sábado, 7 de dezembro de 2013

Ataíde e Alexandre

Ataíde e Alexandre
Em 1980 desembarcava em São Paulo uma dupla cheia de vontade, talento e sonhos. Ataíde e Alexandre queriam conquistar o Brasil, seguindo os passos dos grandes nomes que fizeram a música sertaneja: Tonico & Tinoco; Milionário & José Rico; Tião Carreiro & Pardinho e tantos outros.
Alexandre - trabalhou na roça, cortando cana e colhendo algodão até os 14 anos.
Aprendeu a tocar violão sozinho, nos poucos momentos de lazer que tinha. Aos 16 anos começou a se apresentar em programas de calouros com Raul Gil e Silvio Santos.
Em São Paulo, Alexandre trabalhou como garçom no restaurante La Farina durante três anos. 
Foi quando surgiu a primeira oportunidade no programa da rádio Record '' Linha Sertaneja Classe A''.
Já no final de 1982 assinaram contrato com a gravadora RCA.


O primeiro disco - Meu Caminho - foi lançado em 1983 e trouxe como destaque a música Fingindo Dormir. A repercussão desse trabalho os levou á Continental East West.
Em 1984, Marca de Batom - pela Continental - estourou em todo o interior brasileiro com a canção A Que Ponto Cheguei. Mas foi em 1986, com o terceiro CD intitulado - Ataíde & Alexandre - que o sucesso os consagrou.
O trabalho rendeu um disco de ouro e a participação inédita de uma dupla sertaneja no programa Globo de Ouro, da TV Globo. A música responsável pelo sucesso é a inesquecível Você Marcou Pra Mim.
Ainda na rede Globo, em 1988, Ataíde e Alexandre fizeram uma homenagem á Charles Chaplin, cantando em uma versão especial a música Luzes da Ribalta.
Em 1988, a gravadora Continental apresentou o quarto volume, onde a música de trabalho era Madrugada Amiga. Em 89 Doces Palavras foi o destaque do Vol. 5. No ano seguinte o Vol. 6 trouxe a balada Rosas e Versos.
A Segunda fase da dupla Ataíde & Alexandre começou nos anos 90, com a substituição do ''primeiro'' Ataíde que era apenas um amigo, pelo irmão mais novo de Alexandre. Com as mudanças eles ficaram seis anos sem gravar, afinando as vozes e se preparando para novos desafios.
Foi durante esse período que Alexandre descobriu o dom da composição. Em pouco tempo ele tornou-se um dos compositores mais conhecidos do Brasil.
Junto com parceiros com Roque, Elias Muniz, Fátima Leão, Roberto Merlin, Darci Rossi, Carlos Randal, Danimar e Rick (da dupla Rick & Renner) viu suas canções se consagrarem nas vozes de Zezé Di Camargo & Luciano, Chitãozinho & Xororó, João Paulo & Daniel, Gian & Giovani, Rick & Renner e muitos outros.
Nesse período também bancaram por canta própria um tape e um mix; passaram pela gravadora Velas, onde lançaram o disco De Cara Nova, com música de trabalho Não Brinque de Amor Comigo.
Em 1997, estourou a música Deus Me Livre, através da gravadora Paradoxx, regravada logo depois pelo grupo Raça Negra.
Em 1999 Ataíde e Alexandre voltaram á Continental East West e lançam o sucesso Laço Aberto. A música, que tem um estilo country-reggae, foi incluída no Clube da Viola II, ajudando o CD a conquistar o disco de ouro por ter sido uma das mais executadas nas rádios de todo o país.
O sucesso foi tanto que o décimo primeiro CD da dupla, lançado no início do ano 2000, levou o nome da canção Laço Aberto. Definitivamente, a música estourou em todo o país.
Em 2001, a dupla traz para o público mais um trabalho de qualidade. É a vez da '' Estrada do Amor'' - décimo segundo CD a conquistar o público de todo o Brasil.
O CD vem com regravações famosas como: Choro (Fábio Jr.) e Pelo Interfone - sucesso dos anos 80 na voz do cantor Ritchie. Além, é claro, das belas e românticas composições da Alexandre.
Em 2002 - eles decidem homenagear o seu público, os fãs ardorosos que a tempo pediam isso, acatando uma sugestão da gravadora Warner Continental por onde lançaram mais este trabalho, que é a de gravar de forma acústica as músicas de autoria do Alexandre, que é compositor, que foram sucesso nas vozes de outros grandes intérpretes, como João Paulo & Daniel, Chitãozinho & Xororo, Rick & Renner, Rio Negro & Solimões, Bruno & Marrone e Cleyton & Camargo. Entre outros. Entre as regravações destacam-se Liguei Pra Dizer Que Te Amo, Baby, Página de Amigos, Hoje Eu Sei, Ô de Casa Ô de Fora e o grande sucesso Laço Aberto em uma Versão Acústica - Título deste Cd.
Em 2003 - pela Warner Music Brasil, a dupla nos presenteia com mais um grande trabalho, o Cd - Tá Nervoso...Vai Pescá! - traz um repertório alegre, dançante e apaixonante. Totalmente regido pelo contagiante som da sanfona. Neste trabalho destacam-se as canções Quando o Amor é Pra Valer, Chuva de Mulher, Todo Mundo Tem, Clareou, Clareou, Todas as Noites, O Seu Perfume Está No Ar, além da faixa título Tá Nervoso...Vai Pescá!
No final de 2003, Momento Especial, agora pela Atração Fonográfica, presenteia à todos os fãs, pois neste trabalho as dez primeiras canções são uma releitura de velhos sucessos interpretados pela antiga formação da dupla (onde o "primeiro" Ataíde era apenas um amigo do Alexandre) em nova roupagem. Este é um Cd para ouvir, guardar e relembrar algumas canções: As Avenidas (Cecílio Nena/Niceas Drumont), Rosas e Versos (Paulo Debétio e Paulinho Resende), Doces Palavras (Chico Roque), Você Marcou Pra Mim (Valdemar de F. Assunção/Constantino Mendes), entre outras. E ainda para completar, Deus Me Livre, Laço Aberto, Tá Nervoso... Vai Pescá! E Mulher Boa Era a Maria.
Agora em 2004, mais um trabalho pela Atração Fonográfica - Amor de Arrepiar, que chega ao mercado destinado a atingir o grande público. Gravado no estúdio Mesopotâmia em Londrina/Pr e com produção musical por conta de Darci Rossi e com um repertório diversificado para atingir todos os gostos. A música de trabalho Ontem à Noite Perguntei Por Você, já está sendo executada em todas as Rádios do País.
Além desta destacam-se as canções Acordo Pra Sonhar, Uai Sô, Amor de Arrepiar, A Bebida Não Cura, Te Amo Que Mais Posso Dizer, Paixão é Bucha, Lado Feminino, entre outras. Enfim, "Amor de Arrepiar", é um Cd dançante, alegre, romântico, um trabalho voltado para os fãs de carteirinha da dupla, bem como, o público mais jovem, que descobrem a cada dia o prazer de ouvir a nossa bela música sertaneja.
Biografia enviada por ale_sdr em 18/2/2009

Athos e Arthur
Revelação da música Sertaneja Universitária em Goiás, a dupla Athos e Arthur vem se destacando pelo jeito animado de se apresentar e pelas vozes contagiantes, em shows por todo Brasil!
A dupla Sertaneja Universitária é da cidade de Rio Verde-GO, e estam na estrada desde 2006, jovens talentos da música sertaneja. Possuem um verdadeiro dom para música onde demonstra suas habilidades tocando cantando e encantando o Brasil.
Athos e Arthur possuem um verdadeiro dom para música já participaram de Feiras Agropecuárias
em várias cidades, rodeios, aniversários de cidade e eventos em geral ... Com estilo notadamente Universitário, tem como principal característica, a marcante presença nos palcos onde se apresentam.
Possuem um repertório atualizado cantando músicas do CD como o Sucesso ME MANDE EMBORA e também musicas de artistas renomados como: Bruno e Marrone, Zezé Di Camargo e Luciano, Guilherme e Santiago, Cristian e Rhalf, Cezar Menotte e Fabiano, Victor e Léo e grandes clássicos da musica sertaneja Raiz como Tião Carreiro e Pardinho entre outros.
A dupla começou a cantar ainda crianças nas Igrejas Evangélicas do Estado de Goiás. Athos e Arthur são da Igreja Presbiteriana e tem a musica como profissão. O Athos é formado em Administração em Agronegocios. O Arthur seu irmão está cursando o ensino médio.
Biografia enviada por Elizabeth em 15/12/2009

Trio parada dura
Carlos Alberto Mangabinha Ribeiro, o Mangabinha, nascido na cidade de Corinto-MG em 1942 é o único integrante remanescente da formação original desse trio que se formou em 1973 e aproveitou a trilha aberta por Léo Canhoto e Robertinho para inovar a Música Sertaneja em diversos aspectos, como a temática do repertório e a instrumentação, sem ferir totalmente nem fugir demasiadamente das Raízes.
Mangabinha foi “bóia-fria” no Interior Mineiro e, com apenas 8 anos de idade, começou a tocar a sanfona de oito baixos, em 1950, apresentando-se em festas e forrós da região.
Em 1970, Mangabinha trocou sua Corinto natal pela Capital Mineira e, em Belo Horizonte - MG formou um trio juntamente com Gino e Geno, trio esse que chegou a lançar um LP.
Foi no ano de 1973 que Mangabinha trocou a Capital Mineira pela Capital Paulista, onde atuou na Rádio Nove de Julho, ocasião na qual aconteceu a primeira formação do Trio Parada Dura, juntamente com Delmir e Delmon.
Com Mangabinha, Delmir e Delmon, o Trio Parada Dura lançou três Lps pela gravadora Chororó, em seus dois anos de duração, nessa formação inicial. Desconheço qualquer remasterização em CD desses primeiros discos, os quais possuem indubitavelmente um indiscutível valor histórico.
Em 1975, dois anos após sua formação, aconteceu a primeira alteração no Trio Parada Dura, com as saídas de Delmir e Delmon, que foram substituídos por Benzito e Barrerito (Élcio Neves Borges, nascido em São Fidélis-RJ em 22/10/1942 e falecido em Belo Horizonte - MG em 12/08/1998).
Com essa nova formação, o Trio Parada Dura gravou, até o ano de 1987, três LP’s pela gravadora Chororó (“Mineiro Não Perde o Trem” (1976), “Casa da Avenida” (1977) e “Homem de Pedra (1978)) e 10  LPs  pela Copacabana (dentre os quais, “Cruz Pesada” (1978), “Castelo de Amor” (1979), “Blusa Vermelha” (1980) e “Barco de Papel” (1984)).
Nesses oito anos, o conjunto fez bastante sucesso com as músicas “Não Quero Piedade” (Ronaldo Adriano - Zé da Praia - Barrerito), “Homem De Pedra” (Correto - Creone), “O Doutor E A Empregada” (Roniel - Augusto Alves Pinto), “Fuscão Preto” (Jeca Mineiro - Atílio Versutti), “Panela Velha” (Moraezinho - Auri Silvestre), “Avião Das Nove” (Praense - Ado), “As Andorinhas” (Alcino Alves - Rossi - Rosa Quadros) “Mineiro Não Perde O Trem” (Juquinha - Silveira), “O Carro E A Faculdade” (Sulino - José Fortuna), “Soraia” (Zé Mulato - Aristeu - Barrerito) e “Bobeou… A Gente Pimba” (Jotha Luiz - Cesar Augusto - Barrerito), apenas para citar algumas. Sem dúvida, o período de maior sucesso do trio.
Em Março de 1982 um acidente aéreo levou Barrerito à cadeira de rodas.
Depois disso, ele acabou saindo do conjunto e, em seu lugar, entrou seu irmão Parrerito, o qual permanece até hoje no grupo.
Biografia enviada por ale_sdr em 2/4/2009

Batô e Fernando
Está com sucesso estourado nas paradas em todo o Brasil “Pego a Senha" ao Vivo, o mais novo álbum dessa dupla sertaneja que é sucesso por onde passa.
A vocação para a música começou cedo. O gosto pela música caipira também. Há cerca de cinco anos, Batô e Fernando juntaram a harmonia de suas vozes e mostra a cada dia o seu talento.
Apesar do pouco tempo juntos os meninos encaram a profissão escolhida com muita determinação.
Nasceram em cidades diferentes e percorreram caminhos diferentes. Mas o destino se encarregou de unir a dupla. Batô (Fábio Augusto Palermo) é natural de Aparecida do Taboado, Mato Grosso do Sul. Aos três anos de idade, mudou-se para Ivinhema, onde permaneceu sua infância.
Aos 14 anos foi para uma escola agropecuária no município de Miranda. Foi lá que ele começou a se interessar pela música sertaneja. Aos 18 anos, Batô foi morar em Dourados onde cursou agronomia. Nessa época já tocava e cantava diariamente com amigos, num bar universitário.
A essa altura já era amante de músicos como Tião Carreiro e Pardinho, Trio Parada Dura, Milionário e José Rico. As aulas de violão clássico na infância deram um toque original ao talento do violonista.
Fernando (Luiz Fernando Pereira) nasceu em Pirassununga, interior de São Paulo, e na sua infância, através da família, ouvia músicas caipiras. Mudou-se ainda pequeno para Campo Grande, Mato Grosso do Sul, onde foi criado.
Morou em Cuiabá por quatro anos e lá teve o primeiro contato com o instrumento (viola caipira) O amigo Rodrigo (Rosinha) o apresentou a um violeiro chamado Joel, que ensinou ao Fernando os primeiros acordes na viola.
Ele então começou a tocar com amigos e foi se aprimorando. Nesta mesma época conheceu Ronaldo Viola (autor da música Desatino) e através dessa amizade, conheceu também Juliana Andrade e Praiano.
Voltou para Campo Grande e conheceu outros amantes da música sertaneja, dentre eles, Batô.
Nas festas, entre amigos, sempre se encontravam e cantavam juntos algumas músicas. Com esse contato constante e o incentivo de todos, foram se aprimorando e o entrosamento foi tão grande, que acabaram formando a dupla “Batô e Fernando”.
Já de início, a dupla pôde contar com um fator muito importante: a presença de amigos que acreditaram e acreditam em seu potencial. O apoio do sr° José Antônio Pereira, pai do Fernando, fez da família o verdadeiro berço da dupla. Segundo os meninos, esse é um dos principais pilares de sua carreira. E a humildade e a paixão pela música raiz, são caminhos para o sucesso.
Batô e Fernando - Pantanal discos (2005). Primeiro álbum da dupla que conta em seu repertório as
Músicas: Casal sem Juízo, Encruzilhada e Nunca mais vou te esquecer. E a regravação da música “Peão centenário” ganhadora da festa “Da Violeira” em Barretos/ SP.
Batô e Fernando - Pantanal discos (2007). Segundo álbum da dupla que reuniu musicas como “ Paixão pra mais de mês,Sobra Saudade no meu coração e Amigos da Viola” sendo estas gravações que abrilhantaram mais a carreira da dupla.
Batô e Fernando - Pantanal Discos (2009). Terceiro álbum da dupla, Sendo esse “Ao vivo”, gravado em Campo Grande/ MS. Com musicas que marcaram a carreira da dupla e algumas inéditas Sei Lá, Casal Sem Juízo, Pega a Senha, Amor de Novela, Encruzilhada entre outras...
Esses Sucessos estão abrindo as portas para a dupla em todo o País!

Biografia enviada por Elizabeth em 17/12/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário