Total de visualizações de página

Quer sua Biografia aqui = escreva a sua e envie pelo contato que se encontra em baixo. 

R

R-Sertaneja sempre ligada a Melhor Rádio de se Ouvir.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Lu e Robertinho


Lu e Robertinho
Lu é de Lins, no interior de São Paulo, e tem 24 anos.
Sua carreira na música começou com o projeto “Lu e Robertinho”.
Antes, Lu trabalhava no negócio da família e tocava em alguns bares da sua terra natal.
Sempre quis ser cantor, mas ainda buscava o que gostaria de fazer.
Tinha dúvidas entre montar uma dupla, banda ou grupo. Sobre referências musicais, o pop nacional e internacional sempre foram os gêneros mais presentes em sua vida.
"Eu queria cantar pra massa. Então, comecei a ouvir outros estilos, e hoje não tenho preconceito algum.
Meu Pen drive no carro tem desde Bruno e Marrone a Avenged Sevenfold".
Robertinho com pai músico, trabalha na música desde os 15 anos de idade.
Hoje, também tem 24 anos. Antes do projeto “Lu e Robertinho”, tocava em bares, bandas de baile e duplas.
Também deu aulas de violão e guitarra.
Sobre suas referências musicais, apesar de ter tocado em bandas de diversos estilos, assume o lado sertanejo nos mashups da dupla.
A história da música traz muitos exemplos de mashup– que ficou muito conhecido pela música eletrônica e pelo trabalho de diversos DJs, que a partir de músicas distintas conseguiram criar novas batidas e sonoridades. Mas o mashup não ficou limitado apenas ao universo da música eletrônica e acabou se expandindo muito, principalmente para o universo da música pop internacional. 



Você já escutou o novo Gênero de Mashup que está fazendo sucesso pelo Brasil combinando nossos Hits Sertanejos com os grandes nomes do Pop Internacional?
É esta a proposta da dupla Lu e Robertinho.
Eles começaram sua história fazendo Sertanejo Mashup e vêm liderando o novo gênero há mais de 1 ano, acumulando mais de 15 milhões de views no YouTube.
Os números fazem da dupla um dos maiores sucessos da música na Internet Brasileira, independente do gênero. Lu e Robertinho reúnem referências de diversos estilos, mesclando sucessos de ídolos internacionais como Adele, David Guetta e Jason Mraz com os hits sertanejos de Fernando e Sorocaba, Jorge e Mateus, Luan Santana e Michel Teló, entre outros.
As canções trazem a pegada do sertanejo em misturas improváveis com músicas pop, rock e eletrônica – criando um mashup inusitado, harmônico, gostoso de ouvir e dançar.
Este gênero, que surgiu como uma febre na internet, hoje agita festas e shows por todo o país.
O resultado agrada muito os fãs e o sucesso de Lu e Robertinho, tanto na web quanto na estrada, mostra que o Sertanejo Mashup veio para ficar e conquistar todo o Brasil.

Eduardo Neto e Ronaldo.
Uma história que está fazendo história.
Se fosse a fonte de inspiração de uma letra, transformaria com certeza na canção predileta de quem e louco por música sertaneja.
Eduardo Neto
Reginaldo Eduardo Neto, nome de batismo, nascido em 11 de setembro na cidade de Contagem, e Ronaldo Soares Fernandes, em 02 de agosto em Unaí, vieram ao mundo predestinados ao sucesso.
Desde a infância começaram a tocar. Onde houvesse uma festa estavam lá, cantando e encantando.
Amigos a mais de 15 anos, Eduardo Neto e Ronaldo se tornam músicos profissionais com a mesma intenção: “tocar o melhor da musica sertaneja”
Os anos foram passando e os próximos passos foram os bares, casas de shows de BH e rodeios de todo país.
Parcerias que fizeram a diferença
No currículo destes grandes parceiros, muita bagagem e história pra contar.
Ambos vêm de diferentes experiências musicais.
Tanto Eduardo Neto quanto Ronaldo fizeram parte do projeto de outras duplas antes de se unirem. A união entre estes amigos deu tão certo que o lema dos dois passou a ser: Ronaldo“Viemos ao mundo para fazer o melhor do sertanejo”.
Misturando ritmos e resgatando o melhor da música brasileira
O estilo desta dupla vem se tornando inconfundível no cenário da música brasileira, devido a grande qualidade vocal e repertório diferenciado.
Os dois juntos reúnem talento para tocar, interpretar, compor, arranjar e produzir, trazendo para o público, através de sua arte, o melhor do sertanejo.
Eduardo Neto e Ronaldo representam a renovação da música sertaneja.
Com um inconfundível estilo que vai do romantismo, sertanejo vintage, sertanejo universitário, arrocha passando pelo samba indo até o pop rock e rock nacional, mas sempre mantendo a pegada do sertanejo que é a marca registrada da dupla.
Por onde passa, a dupla vem arrastando uma multidão de fãs que se identificam com a qualidade musical e o carisma dos dois.
O trabalho da dupla é movido pelo amor à música e respeito incontestável a seus inúmeros fãs espalhados pelo Brasil afora.

Pedro Henrique e Fernando
Vozes e repertório inconfundíveis.
Em meio a tanta dupla sertaneja, Pedro Henrique e Fernando se destacam pelo bom humor nas letras das músicas e o tom grave na hora de cantar. São deles as divertidas "Afoga o Ganso", "Vou lhe usar" e "Bonito e Gostosão", que ganhou o primeiro clipe da dupla e foi visto mais de três milhões de vezes no YouTube.
Iniciaram a carreira em janeiro 2006, dias depois de serem apresentados por um amigo em comum na pequena cidade de Paranaíta, no estado do Mato Grosso.
Nascido em Goiânia, no estado de Goiás, Fernando tinha ido apenas acompanhar a mudança da mãe no município. Não tinha planos de ficar até ouvir o pedido de Pedro Henrique: “fica e vamos formar uma dupla”.
Com agenda lotada de shows – foram 130 em 2012 –, a dupla mais irreverente do Brasil já um sucesso nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Minas Gerais, Goiás e interior paulista. Mas, o começo não foi fácil.
Durante um ano, Pedro Henrique e Fernando se apresentavam todos os fins de semana em dois restaurantes de Paranaíta em troca de cachês iniciais de R$ 50 (e que chegaram a R$ 150).
O repertório também era mais conservador: os amigos cantavam os sucessos de outros artistas da música sertaneja, como Chitãozinho e Xororó, Bruno e Marrone e Milionário e José Rico.
Durante o dia, Pedro Henrique dividia seu tempo entre o emprego na Prefeitura da cidade e uma lojinha de "muamba", como ele gosta de dizer. Fernando trabalhava no escritório de uma madeireira
A primeira tentativa de transformar o sonho da música em profissão foi frustrada.
No início de 2007, a dupla foi convidada por um suposto empresário com a promessa de estourarem na capital mato-grossense.
Sem conhecer ninguém em Cuiabá, a dupla foi obrigada a morar na casa de parentes do empresário e não viu a cor do dinheiro dos shows que foram feitos. "Ele dizia que a gente tinha dívida com a moradia e comida e pegava todo o dinheiro", lembra Pedro Henrique que seis meses depois estava junto com o parceiro de volta à Paranaíta, tocando nos dois restaurantes onde começaram a carreira.
"Eu vou para onde você for". Foi essa a resposta de Fernando quando Pedro Henrique perguntou se ele topava juntar dinheiro e, mais uma vez, voltar para Cuiabá para tentar o sucesso. Em três meses conseguiram R$ 1.200 e entraram no ônibus.
Lá, os cachês pelas apresentações em barzinhos e algumas festas ainda eram pequenos.
Para se tornarem populares e, de quebra, conseguirem pagar as contas, produziam CDs piratas com suas primeiras músicas.
Foi nessa época que Pedro Henrique e Fernando perceberam que tinham que investir em músicas com as quais se identificassem. "Incomodava cantar coisas que não eram nossa cara. Somos bem humorados e bagunceiros.
Aí que decidimos brincar mais, criar músicas mais divertidas", conta Pedro Henrique.
A brincadeira deu certo e Pedro Henrique e Fernando são os únicos artistas sertanejos do gênero, muitas vezes intitulados como "Mamonas Assassinas de bota e chapéu". 
A comparação não incomoda, mas traz muita responsabilidade. "Os Mamonas foram grandes artistas e ainda são referência. Ficamos honrados com a comparação, mas fazemos o nosso trabalho".
Com o atual empresário, em 2010, a dupla gravou o primeiro CD, chamado "Ao Vivo Sem Cortes". Das 17 faixas, merecem destaque "Tô mais bonito" e "Larga esse whisky", música que em que eles pedem para que a mulher largue todo o luxo em troca de um amor que vive de pão com mortadela e paga aluguel. Ao lado de "Cowboy Reciclado e "Open Bar", que fazem parte do segundo CD da carreira, foram elas que apresentaram a dupla ao grande público. "Afoga o Ganso" é o divisor de águas. "Ouvi essa música no Paraná, na versão dance.Adaptamos para o ritmo sertanejo". A canção de rima fácil (Ele toma banho quente/Usa sua pasta de dente/ Você se sente chifrado/ Foi pelo Ricardo amado) caiu no gosto popular e virou mania no centro-oeste do Brasil e ganhou até um clipe, interpretado pela própria dupla.
Meses depois de lançarem o segundo CD da carreira, Pedro Henrique e Fernando subiram no palco para gravar o primeiro DVD da carreira para um público de 25 mil pessoas, em Cuiabá. O dia eles lembram bem: 11 de julho de 2011.
"To mais bonito" abre e encerra o trabalho. São 23 faixas e o divertido quadro "Miliorico e Josenario", em que os artistas homenageiam as "gargantas de ouro da música sertaneja". Travestidos como seus ídolos, eles interpretam "Estrada da Vida", "Vontade Dividida", entre outras.

Por Cristiane Bonfim

Nenhum comentário:

Postar um comentário